Generic placeholder thumbnail
Psicologia da Música e Educação Musical: interfaces, perspectivas e ações pedagógicas

Histórico

A música é uma das expressões fundamentais da cultura humana: um constructo sociocultural que toma parte no conceito de humanidade. Como atividade ou como produto culturais, ela se caracteriza por sua antiguidade, ubiquidade e onipresença.

Diante de sua importância, desde muito, os estudiosos se perguntam: de que maneira a música está presente na vida das pessoas? Por que ouvimos e fazemos música? Por que certas sequências de sons nos emocionam e outras nos incomodam? Por que gostamos de música? Qual é o valor da música para indivíduos ou grupos sociais? O que constitui o comportamento musical? Como as habilidades musicais se desenvolvem? O que é musicalidade? O que é música, afinal?

O valor, os usos e as funções da música em diferentes sociedades podem ser estudados sob diversas perspectivas: social, antropológica, estética, histórica e psicológica.

O comportamento musical é, tanto quanto a própria expressão musical, multifacetado. Aspectos desse comportamento vêm sendo investigados tanto individualmente como socialmente: uma investigação interdisciplinar por definição.

No bojo dessa interdisciplinaridade, a Psicologia vem contribuindo para o fortalecimento de uma área específica denominada de Psicologia da Música. Em especial, fenômenos sensoriais, perceptivos, cognitivos, motrizes e afetivos já bastante conhecidos da Psicologia Geral vêm sendo discutidos no âmbito das atividades musicais. Temas como performance, aptidão, habilidade, inteligência, criatividade, comportamento musical social, emoção, memória, percepção, ansiedade, aprendizagem, desenvolvimento e muitos outros vêm sendo discutidos na perspectiva da Psicologia da Música.

A Psicologia da Música procura compreender os processos psicológicos presentes no comportamento e na experiência musicais. Ou seja: quais são os processos conscientes e inconscientes que são mobilizados a partir da música? O que acontece quando alguém toca, improvisa, compõe, dança ou ouve música? Quais são os significados da música? Quais são as relações entre música e emoção, memória, inteligência...?

A tarefa da Psicologia da Música vem sendo a de compreender as conexões entre os comportamentos musicais e a variedade de aspectos e elementos com os quais esses se relacionam, estabelecendo modelos teóricos capazes de explicá-los. Metodologicamente, a Psicologia da Música visa a elaboração de modelos teóricos explicativos dos mecanismos presentes na mente do indivíduo, quando ele está envolvido em alguma atividade musical.

Nesse sentido, as pesquisas em Psicologia da Música podem esclarecer procedimentos de ensino e aprendizagem, qualificando princípios a serem adotados no processo de Educação Musical.

O Seminário Nacional de Psicologia da Música e Educação Musical – SENAPEM pretende congregar pesquisadores e estudiosos do assunto no intuito de fortalecer essa área de investigação, em especial, aquelas relativas ao tema central do Seminário: Psicologia da Música e Educação Musical: interfaces, perspectivas e ações pedagógicas.

Valéria Cristina Marques